HomeVídeo NotíciasQual a Câmera ideal ?

Qual a Câmera ideal ?

-Cameras-Profissionais-Acessorios-Equipamentos-Centro.jpgQual a melhor câmera das últimos lançamentos de 2012.

Veja a seguir algumas das mais esperadas no mercado

tanto em feiras quanto aqui no Brasil.

 

 

 

Nikon D600

Pense em uma D800 com poucas perdas e um desconto de US$ 800. Esta é a Nikon D600, DSLR pra lá de bacana que sai por US$ 2.700 (kit, com lente 24-85mm f/3.5). Ela tem um sensor full frame de 24,3 MP e compartilha praticamente todas as características da D800. De diferente além da resolução máxima, menos botões físicos, mais leveza (760g contra 900g da D800) e foco automático de 39 pontos — na irmã mais velha, são 51. Baixas toleráveis, considerando-se a qualidade dos resultados e o público-alvo da nova câmera.

Canon EOS 6D

Canon 6D.

A Canon EOS 6D chega com o título de DSLR full frame mais barata do mercado — US$ 2.100. Na prática, ela não traz novidades e se encaixa como uma sucessora da 5D Mark II, ou uma opção mais em conta para quem não puder bancar uma nova 5D Mark III. Ah, e ela briga diretamente com a D600, da Nikon, mostrada ali em cima.

Não há muitas novidades na câmera, todas as tecnologias e especificações já foram vistas em outros equipamentos. Mas há detalhes bacanas. Ela filma em alta definição (1920 x 1080 HD a 25 e 30 fps, ou 1280 x 720 a 60 e 50 fps) e traz, embutidos, Wi-Fi e GPS. Além do valor só pelo corpo, a Canon oferecerá ainda um kit com uma lente EF 24-105mm f/4L IS USM por US$ 2.900.

Panasonic Lumix GH3

A Lumix GH2 tornou-se a queridinha de cineastas graças a um hack que aperfeiçoava as capacidades de filmagem da câmera, chegando a vídeos em Full HD com 100 Mb/s ou mais. Na sua nova versão melhorada, a Panasonic mostra que aprendeu com a comunidade: a Lumix GH3 será capaz de filmar em até 75 Mb/s. Isso resultará em muito detalhe nos vídeos, e sem o trabalho de realizar o hack.

De resto, a GH3 incorpora muitas tecnologias novas, como Wi-Fi, tela LCD escamoteável e uma mira OLED eletrônica, além de ter o corpo agora resistente a respingos e poeira. O ruim? Rumores apontam para o preço de cerca de US$ 2.000. Pode ser justo pelo que a câmera oferece, ms é quase o dobro do que a Panasonic cobrava na GH2…

Sony a99

A Sony briga para conquistar donos de DSLRs enfeitiçados por Canon e Nikon. A última investida dos japoneses é a Sony A99, uma DSLR com sensor full frame de 24 MP e corpo bastante leve — são só 733g. De diferente, uma coisa boa e outra ruim. A boa é que a câmera traz dois sensores de foco automático, adição que, segundo a Sony, agiliza e dá mais confiabilidade no travamento do objeto em destaque. A ruim é que, diferente da maioria das DSLRs, a A99 não usa mira ótica, mas sim uma tecnologia da Sony de espelho translúcido. Preço? US$ 2.800 (só pelo corpo).

Sony NEX-6

 

A nova mirrorless da Sony é um membro totalmente novo da linha NEX. A Sony NEX-6 promete ser uma intermediária de sucesso, entre a NEX-5 e a NEX-7. Da primeira, ou melhor, da variante NEX-5R, vem a conectividade Wi-Fi, aqueles “apps” estranhos e o sistema híbrido de foco automático. Da NEX-7, os botões e a mira digital. Com sensor APS-C de 16,1 MP e filmagem em Full HD a 60fps, parece uma câmera de respeito, com qualidade de DSLR. Ela tem muitos botões físicos (a tela não responde a toques) e uma pegada mais premium. Por US$ 850 (só o corpo) ou com uma lente zoom 16-50mm por R$ 1.000.

Pentax K-5 II

Pentax K-5 II

Uma espécie de Rambo das câmeras, a Pentax K-5 II aguenta água e poeira sem deixar a qualidade de lado. A grande novidade dessa releitura da K-5 original é a presença de um sensor de foto automático chamado SAFOX X. Segundo a Pentax, ele deverá melhorar em muito a velocidade do foco automático, dando um belo reforço em situações de baixa luminosidade.

Sony Cyber-shot RX1

Parece loucura um sensor full-frame em uma compacta? Sim ou não, a Sony foi lá e fez. O sensor é o grande diferencial, já que em todo o resto ela é uma perfeita compacta: nada de zoom ótico, ou lentes intercambiáveis. A Cyber-shot RX1 é uma câmera com lente fixa (Carl Zeiss, f/2.0) e um sensor full frame, de 35mm. Há benefícios (maior área fotografada, mais qualidade nas fotos), mas o preço a deixa fora do alcance da maioria e, de compacto, não tem nada: US$ 2.800.

Olympus E-PL5 e E-PM2

As Olympus E-PL5 e E-PM2 são sucessoras das pequeninas câmeras micro quatro-terços lançadas ano passado. De novidades, um sensor maior, de 16 MP (o antigo tinha 12) e tela LCD sensível a toques. Diferente de várias outras que estão chegando ao mercado com Wi-Fi, a Olympus optou por tornar a dupla compatível com cartões SD wireless, como o Eye-Fi. As duas são idênticas, a diferença está na tela escamoteável da E-PL5 — a da E-PM2 é fixa e, portanto, a câmera fica ainda menor. Com lente, a E-PL5 custará US$ 700 e a E-PM2, US$ 600.

FujiFilm XF1

Parece uma câmera retrô, mas a FujiFilm XF1 tem uns truques legais. Ela tem um sensor de 2/3″ e abertura f/1,8, sensor EXR de 12 MP e lente 25-100mm. Faz vídeos em Full HD e tem um zoom de 4x manual. Quando desligada, a câmera é bem compacta. O visual retrô é personalizável: serão três opções de cores (preto, vermelho e marrom para o couro sintético que adorna a câmera. Sai em outubro por US$ 500 e as primeiras impressões do DPReview foram bem positivas — afinal, uma câmera estilosa pode ser boa também.

 

Fonte: Gizmodo

G+